< Voltar

Câncer de ovário é doença “silenciosa” e perigosa

Publicada dia 28/05/2021 às 11:36:44

cancer-de-ovario-e-doenca-silenciosa-e-perigosa

Thaís Balielo


O mês de maio também é conhecido como mês da prevenção ao Câncer de Ovário. Este tipo de câncer normalmente é uma doença silenciosa e é considerado o câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado. Os sintomas geralmente aparecem quando a doença já está avançada. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa para o Brasil, no biênio 2020-2021, aponta a ocorrência de cerca de 625 mil casos novos de câncer.

O ginecologista Lucas Tosi relatou que o câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, atrás apenas do câncer do colo do útero. Quase todos os casos de neoplasias ovarianas (95%) são provenientes de células que revestem o ovário, as chamadas células epiteliais. O restante deriva de células germinativas (que formam os óvulos) e células estromais (que produzem a maior parte dos hormônios femininos). “Apenas em 2020, foram constatados cerca de 6650 novos casos. No início, pode não apresentar sintomas específicos, porém, à medida que o tumor cresce, pode causar compressão, dor ou inchaço no abdome ou pelve, além de náuseas, indigestão, alterações intestinais, entre outros”, enumera.

Como fator de risco para a doença, Lucas ressaltou que o risco aumenta com a idade, também existem fatores reprodutivos e hormonais. Infertilidade pode representar maior risco, bem como mulheres com menarca precoce e menopausa tardia. “Um fato bastante interessante é que o uso de anticoncepcionais hormonais reduz o risco de desenvolver a doença”, diz.

Familiares com história de câncer de ovário, colorretal ou mama ainda são fatores que aumentam a incidência da doença. A obesidade e fatores genéticos também aumentam os riscos de desenvolver a doença. “Quanto ao tratamento, pode ser realizado através de quimioterapia ou cirurgia, conforme o tipo histológico e extensão da doença principalmente”, relata.

Tosi explicou ainda que, diferente do que ocorre com o câncer de mama ou colo do útero, não há evidências de que o rastreamento do câncer de ovário traga mais benefícios do que riscos e, desse modo, não é recomendado rotineiramente. “Trata-se, portanto, de uma enfermidade silenciosa, com poucos sintomas e de difícil diagnóstico. Assim sendo, as consultas rotineiras ao Ginecologista e a mudança de hábitos para um estilo de vida saudável podem ser algumas das principais formas de combate à essa doença”, afirma.

Compartilhar nas redes sociais