< Voltar

Macarrão: nutritivo, saudável e barato

Publicada dia 25/09/2020 às 16:01:03

Isadora Iaroseski

macarrao-nutritivo-saudavel-e-barato

Diego Singolani


Desde a semana passada, quando o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Sanzovo Neto, defendeu a substituição do consumo de arroz por macarrão, surgiram questionamentos sobre se tal troca seria ou não recomendável do ponto de vista dietético. De acordo com a nutricionista Camila Martelozo, a resposta é sim, o macarrão pode ser o substituto do arroz no prato dos brasileiros, enquanto o grão estiver com o preço em alta. Se em questão custo o valor está bem diferente, nutricionalmente, os dois alimentos possuem características parecidas, no que diz respeito a quantidade de proteína, carboidrato e potássio, por exemplo. 

Segundo a nutricionista, a tradicional dupla arroz e feijão, base da dieta brasileira, forma uma combinação ideal entre cereal e leguminosa, que se completam, fornecendo carboidratos, proteínas, além de ferro, vitaminas do complexo B, cálcio e ferro. Porém, em um momento peculiar como este, o macarrão também pode desempenhar um bom papel. “Se compararmos os valores nutricionais de carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais, o macarrão supre a necessidade do arroz”, afirma Camila.

Quanto ao tipo de macarrão a se consumir, a nutricionista explica que existem inúmeras variedades que se enquadram nas necessidades individuais das pessoas. “Nutricionalmente falando, o melhor seria o integral. Pelo maior conteúdo de fibras, vitaminas e minerais. Hoje não temos o melhor, mas sim uma alimentação inclusiva. A comida inclusiva nada mais é do que a promoção da integração das pessoas com diferentes necessidades alimentares especiais. Macarrão sem glúten, sem lactose ou low carb, por exemplo”, disse. 

Uma das queixas mais comuns, principalmente entre os “bons de garfo”, é de que pouco tempo depois de comer uma pratada de macarrão o estômago já está roncando novamente. Camila diz que há uma explicação para isso e que não se trata meramente de desculpa dos fominhas. “Se a pessoa tem uma alta demanda energética, esse carboidrato foi digerido e absorvido rapidamente e prontamente utilizado. Por isso a necessidade de se ter a presença das fibras nesse prato”, recomenda.

A nutricionista reforça o alerta para a necessidade de se manter uma dieta balanceada, que compreenda todos os grupos alimentares. Recentemente, o carboidrato passou a ser encarado por algumas pessoas como vilão da saúde e da boa forma, porém, a radicalização pode trazer sérias consequências. “O principal papel do carboidrato é fornecer energia. Um carro sem combustível não anda. O carboidrato é o nosso combustível. O nosso cérebro é dependente de carboidrato, assim como as nossas hemácias. Logo uma dieta sem carboidrato a longo prazo trará prejuízos ao nosso organismo”, diz Camila. 

De acordo com o Guia Alimentar do Ministério da Saúde, o macarrão é um prato saudável e pode ser saboreado sem culpa, desde que preparado adequadamente. O órgão orienta para que se evite alguns macarrões que são considerados ultraprocessados, geralmente os de preparo instantâneo. A recomendação do Guia Alimentar é pelo macarrão que é feito de farinha e água e leva de cinco a dez minutos para ficar pronto. Além disso, a opção por molhos saudáveis faz toda a diferença.

Receita

Salada de Fusilli

Ingredientes

½ cenoura pequena;
500 g de fusilli integral;
16 tomates-cereja cortados ao meio;
4 fatias médias de queijo branco light em cubos;
8 castanhas-do-pará em lascas;
1 colher (sopa) de azeite;
Sal e manjericão picado a gosto;
2 colheres (sopa) de linhaça.

Modo de preparo

Numa panela, cozinhe o macarrão em água e sal até ficar al dente (macio, porém firme).
Espere esfriar, transfira a massa para um refratário e acrescente o tomate-cereja, o queijo branco, a castanha-do-pará, o azeite, o sal e o manjericão.
Polvilhe com a linhaça e gele até servir.
Dica: se quiser, sirva com molho de iogurte e limão.

Compartilhar nas redes sociais