< Voltar

Prevenção ao câncer do colo do útero também é destaque no Outubro Rosa

Publicada dia 02/11/2020 às 18:45:36

Thaís Balielo

prevencao-ao-cancer-do-colo-do-utero-tambem-e-destaque-no-outubro-rosa

Diego Singolani


O mês de outubro já é conhecido mundialmente como um mês marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento, conhecido como Outubro Rosa, é celebrado anualmente desde os anos 90. Mais recentemente, a campanha também incluiu o câncer do colo do útero no foco de suas ações, promovendo a conscientização sobre a doença, proporcionando maior acesso aos serviços de diagnóstico e contribuindo para a redução da mortalidade. O câncer de colo do útero é a terceira causa de morte por câncer em mulheres no Brasil, com exceção do câncer de pele. O principal fator de risco para o desenvolvimento deste tipo de câncer é a infecção pelo Papiloma Vírus Humano (HPV), infecção sexualmente transmissível mais comum em todo o mundo. A transmissão do HPV ocorre principalmente por via sexual, mas pode ocorrer por qualquer contato direto com a pele ou mucosa infectada. Na maioria das vezes, a infecção não apresenta sintomas, mas no estágio avançado poderá ocorrer sangramento vaginal (espontâneo, após a relação sexual ou esforço) e dor pélvica. O Atual conversou sobre o tema com o médico ginecologista e obstetra Gustavo Brasil Zacura, que é o diretor do Centro de Saúde da Mulher de Santa Cruz do Rio Pardo. Confira os principais trechos da entrevista:

Atual - Toda mulher que tem HPV desenvolve câncer de colo de útero?

Gustavo Zacura - O HPV (papiloma vírus humano) está diretamente relacionado ao câncer de colo uterino. Existem vários subtipos de HPV, porém três subtipos têm maior patogenicidade para câncer de colo uterino. Eles são facilmente identificados através de exames.

Atual - Estatisticamente, podemos dizer que o câncer do colo do útero é um importante problema de saúde pública no Brasil? E em Santa Cruz do Rio Pardo, qual o cenário?

Gustavo Zacura - O câncer de colo é um problema de saúde pública, sim. Porém, em nossa cidade, devido às campanhas de prevenção e tratamento precoce nos últimos anos tivemos muito sucesso. Estes resultados são um orgulho para nós ginecologistas da rede pública. Atualmente o câncer de colo uterino é o segundo câncer ginecológico mais diagnosticado na mulher. Porém os exames preventivos realizados anualmente pelas mulheres fazem com que, na menor suspeita, já se realize o tratamento adequado. Independentemente da idade e do número de filhos, temos 100% de cura. O importante é diagnóstico precoce, que é realizado através de um exame rápido, não invasivo e indolor, que é o Papanicolau.

Atual - Quais são os principais exames preventivos e quando a mulher deve começar a realizá-los?

Gustavo Zacura - Hoje em dia toda mulher que inicia sua vida sexual tem que realizar a prevenção do câncer de colo uterino através do exame de citologia oncótica (Papanicolau). Hoje, em Santa Cruz,  temos condições através da saúde pública de realizar o tratamento de 100% das lesões precursoras de câncer de colo uterino. O Centro de Saúde da Mulher realiza a colposcopia (exame do colo uterino com microscópio) e biópsia de colo uterino. 

E se, mesmo com esses exames, ainda tivermos lesão de colo, a paciente é encaminhada à Santa Casa para a realização de uma cirurgia chamada Conização (amputação do colo com retirada de toda lesão). 

Atual - Qual a importância de um equipamento como o Centro de Saúde da Mulher para o diagnóstico e tratamento dessa doença?

Gustavo Zacura - Atualmente no município realizamos esses exames e procedimentos tanto pela rede pública  - Centro de Saúde da Mulher e Santa Casa -, como em clínicas privadas. Com esses tratamentos, Santa Cruz trata mais de 90 % dos casos. Hoje em dia, a histerectomia (retirada do útero) para o câncer de colo uterino está sendo cada vez menos realizada. Os tratamentos conservadores e o diagnóstico precoce são cada vez mais eficazes na cura da paciente.

Compartilhar nas redes sociais