< Voltar

Oposição vai dividida para a disputa pela Prefeitura

Publicada dia 21/09/2020 às 10:44:23

Renan Alves

oposicao-vai-dividida-para-a-disputa-pela-prefeitura

Diego Singolani


O cenário da disputa eleitoral em Santa Cruz do Rio Pardo parece estar definido após a realização das últimas convenções partidárias. No sábado, 12, Murilo Costa Sala (Podemos) confirmou sua pré-candidatura a prefeito junto com o pecuarista Maurício Cury (Podemos), como vice. Já na terça-feira, 15, foi a vez das legendas que apoiam Luciano Aparecido Severo (Republicanos) realizarem suas convenções. O vereador também ratificou sua pré-candidatura ao Executivo ao lado da pastora Adriana Piga (DEM), sua vice, que foi escolhida a toque caixa pelo grupo depois da desistência do médico Hector Pinheiro (PSDB). As tratativas de uma possível união entre Murilo e Severo para enfrentar o governista Diego Singolani (PSD) se arrastaram por meses, sem sucesso. Os últimos lances, inclusive, culminaram em troca de farpas veladas entre os vereadores da oposição. 

No sábado, 12, o Podemos e o Patriotas fizeram suas convenções na Câmara de Santa Cruz do Rio Pardo. Os partidos lançaram seus pré-candidatos a vereador e a coligação para a eleição majoritária, com Murilo Sala e Maurício Cury. Entre as figuras que discursaram no evento, o executivo Fernando Manfrin, vice-presidente do Podemos, defendeu a postura política de Murilo Sala, que, segundo ele, consegue aceitar e agregar boas iniciativas independentemente do lado ou do grupo político que elas partam. “Foi tachado como mureteiro, mas ele é uma pessoa imparcial, que olha os dois lados”, afirmou. O pré-candidato a vice, Maurício Cury, foi breve, e disse que apesar de não estar acostumado com discursos e outros meandros da política, não faltará disposição na campanha. “Sou real demais”, declarou. 

Em um discurso de cerca de uma hora, Murilo Sala dedicou boa parte do tempo a falar do papel fundamental da família na sua trajetória de vida, formação de valores e na escolha pessoal pela política. Logo no início, ele fez menção a parceria com Maurício Cury e negou que a escolha pelo pecuarista foi motivada por ele ser identificado com a extrema direita. “Não escolhi o Maurício pela extrema direita ou pela onda Bolsonaro. Ele está comigo pela integridade, caráter e pela família”, disse.

O pré-candidato a prefeito também abordou algumas das áreas que, segundo ele, precisam melhorar dentro da administração pública do município. “Santa Cruz está melhor que antes, mas não é suficiente. O esporte em Santa Cruz acabou há muito tempo. Na cultural, nós temos eventos muito bons, mas não temos programas culturais”, afirmou Sala. Fazendo alusão a uma fala do prefeito Otacílio Parras (PSB), que disse que o grupo governista tinha encontrado a receita para o desenvolvimento da cidade, e que os opositores ficaram de fora, Murilo disparou. “A receita pode ser boa, mas se ficar muito tempo dentro do forno vai queimar”. Ao final, Sala comentou as denúncias envolvendo a antiga diretoria do Podemos, seu partido, que em 2019 deixou de prestar contas à Justiça Eleitoral de R$ 369 mil. Murilo Sala afirmou que tudo deve ser investigado e eventuais responsáveis punidos. Porém, frisou que a situação não envolve os membros da atual diretoria, conforme manifestação do próprio Ministério Público. Murilo ainda mostrou um envelope que teria sido encaminhado pela contadora do Podemos Nacional no qual estariam os documentos para a prestação de contas pendente. Sem entrar em detalhes, Sala insinuou que o grupo de Severo tentou usar o caso, antes da divulgação pela mídia, para pressioná-lo nos bastidores. Fazendo uma analogia ao atentado de 11 de setembro nos EUA, Murilo declarou que tentaram derrubar “as duas torres gêmeas”, se referindo também ao vice Maurício Cury. “Eles sabem que essas duas torres gêmeas não caem e vão mudar a cidade”, afirmou.

Severo diz que governistas tentaram “tomar” o PSDB

Na noite de terça-feira, 15, foi a vez dos partidos Republicanos, PSL, PSDB, Progressista, PTB e DEM divulgarem seus nomes para a disputa das 13 cadeiras do Legislativo de Santa Cruz do Rio Pardo. O grupo também confirmou apoio à chapa de Luciano Severo e Pastora Adriana Piga para a eleição majoritária. A pré-candidata a vice, aliás, foi um dos destaques do evento, já que havia sido anunciada um dia antes para substituir o médico Hector Pinheiro, que desistiu da campanha por questões pessoais.

 A religiosa adotou um discurso voltado principalmente para a assistência social, manifestando o desejo de ampliar as ações que já realiza enquanto pastora. “Fome dói, é um tempo de muita dificuldade. Conheço a necessidade do povo porque eu sou do povo. Quero trabalhar, quero ser ativa”, disse. Adriana Piga minimizou o fato de ter sido convidada somente após a desistência de Hector. “Não estou aqui de última hora. Estou no tempo certo. Vamos atuar em todas as áreas”, garantiu. Assim que o nome da pastora foi divulgado na segunda-feira, 14, ela passou a ser alvo de algumas críticas sobre a participação de líderes religiosos na política. “Pastor tem que estar no lugar que ele quiser, porque ele é do povo”, respondeu.

O pré-candidato a prefeito Luciano Severo começou sua fala agradecendo a participação do médico Hector Pinheiro no projeto político do grupo, mesmo ele tendo desistido da campanha. “Ele deixou ideias e experiências que usaremos em nossas propostas”, afirmou. Severo admitiu que, após a confirmação da saída do neurocirurgião, pensou em abandonar a disputa. “Então eu me prostrei diante de Deus. Pedi para que ele me mostrasse o caminho. E Deus me mostrava que eu era o candidato daquele povo que ainda precisa de muito”, declarou, aparentemente emocionado. Severo, então, revelou que procurou a Pastora Adriana Piga no domingo, 13, às 22h, e ela aceitou ser sua vice. “Com todo respeito ao Héctor, mas ela veio e somou ainda mais”, disse.

 Vereador mais votado nas últimas eleições, Severo afirmou que o atual prefeito faz uma boa gestão, porém, muito mais pode ser realizado. Ele criticou a falta de espaço, estrutura e incentivo para que novas empresas se instalem no distrito industrial do município. Severo ainda falou do déficit habitacional que, segundo ele, chega a duas mil casas em Santa Cruz.

O candidato do Republicanos destacou o fato de ter bom trânsito político com as esferas estadual e federal, graças aos partidos que compõem sua base. Disse, inclusive, que nos últimos dias o grupo político governista teria tentado “tomar” o PSDB - o que não se concretizou - através de contatos com representantes regionais da legenda.

Compartilhar nas redes sociais