< Voltar

Produtores rurais fazem manifestação contra tributação

Publicada dia 09/01/2021 às 10:13:12

Pedro Figueira

produtores-rurais-fazem-manifestacao-contra-tributacao

Thaís Balielo


Na manhã de quinta-feira, 7, aconteceu uma manifestação organizada pelo Sindicato Rural e Produtores Rurais de Santa Cruz do Rio Pardo. O evento foi organizado contra o aumento nas tributações proposto pelo Governo do Estado de São Paulo. As entidades representativas da categoria alegam que aumento do ICMS proposto pelo Governo sobre insumos e produtos do agro em São Paulo, afetará drasticamente o custo da produção no campo. Isso deve refletir diretamente no preço dos alimentos para a população.

Os manifestantes se reuniram no trevo de entrada da cidade próximo da Sefert Máquinas e depois seguiram em carreata juntamente com tratores pelas ruas da cidade. A manifestação foi pacífica e não impediu o trânsito de veículos. Por onde passavam os populares aplaudiam, demonstrando apoio à causa. Um grupo de professores aposentados também acompanhou a manifestação em apoio às reivindicações e protestando quanto o recente aumento na contribuição previdenciária.

Tanto o aumento do ICMS, quanto o aumento para os aposentados teve o voto do deputado Ricardo Madalena na Assembleia Legislativa, o que fez muitos manifestantes lamentarem que o parlamentar santa-cruzense não esteja representando devidamente os interesses dos cidadãos da cidade. A rede social do político recebeu uma enxurrada de comentários, nenhum foi respondido.

Na noite anterior à manifestação, o governador João Dória publicou nas redes sociais um recuo nos aumentos, mas os manifestantes não ficaram satisfeitos. O presidente do Sindicato Rural, Antônio Consalter explicou que a ação do governo visou esfriar o movimento. “É como uma roleta Russa, porém com oito balas no tambor. O governador tirou uma bala, mas deixou as outras sete preparadas”, compara.

Consalter ressalta que os setores do agronegócio trabalharam em diversas frentes para impedir que a lei tivesse aprovação, mas não adiantou. “Agora seguimos trabalhando para pressionar e tentar reverter. Nosso foco é mostrar que todos nós somos consumidores e todos serão prejudicados. O apoio popular foi interessante diante disso. Todos os setores foram afetados”, argumenta.

Essas mudanças atingem insumos agropecuários, produtos in natura e processados, combustíveis, energia elétrica, embalagens e transportes, de modo que diferentes segmentos das cadeias produtivas do agronegócio paulista serão impactados, acarretando custos de produção crescentes, em alguns casos cumulativamente.

“É importante que toda a população faça pressão nos deputados da sua região, no prefeito, nos vereadores, para que isso chegue ao governador e ele veja que não tem amparo popular nenhum este aumento”, diz.

Consalter ressaltou que o setor quer a revogação da lei. “O governador suspendeu o efeito de tributação se alguns setores, mas pode retomar os decretos quando quiser. Queremos a suspenção desta lei que deu poderes ao governador aplicar aumentos por decretos. Isso foi um cheque em branco que os parlamentares deram a ele”, lamenta.

Compartilhar nas redes sociais