< Voltar

Auxílio Emergencial deve ser retomado no dia 6 de abril

Publicada dia 05/04/2021 às 12:00:33

Pedro Figueira

auxilio-emergencial-deve-ser-retomado-no-dia-6-de-abril

Thaís Balielo


Foi anunciada nesta quarta-feira, 31, a nova fase do auxílio emergencial do Governo Federal pago através da Caixa Econômica Federal. Os créditos devem começar no dia 6 de abril, o calendário de crédito em conta digital segue até o dia 22 de agosto.

Pelas novas regras, estabelecidas na Medida Provisória 1.039/2021, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo.

É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não haverá nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso. A família receberá o benefício com maior valor, seja a parcela paga no âmbito do programa, seja o valor do Auxílio Emergencial.

O valor médio do benefício será de R$ 250, variando de R$ 150 a R$ 375, a depender do perfil do beneficiário e da composição de cada família. As famílias, em geral, vão receber R$ 250. A família monoparental, chefiada por uma mulher, vai receber R$ 375. Pessoas que moram sozinhas vão receber R$ 150.

 Segundo divulgado pela Caixa, o calendário foi organizado para que o atendimento ocorra de forma ordenada e sem aglomeração. Os pagamentos serão escalonados, de acordo com o mês de nascimento do beneficiário, em ciclos de crédito em conta e saque em dinheiro. Para os beneficiários do Bolsa Família que receberão o auxílio, nada muda. Eles continuam a receber conforme o calendário habitual.

A Dataprev realizará o cruzamento dos dados das pessoas cadastradas no grupo de beneficiários com os critérios do novo programa. A partir do dia 2 de abril, os cidadãos poderão verificar o resultado do processamento através do endereço auxilio.caixa.gov.br ou central 111 para saber se estão elegíveis para receber o auxílio.

Compartilhar nas redes sociais