< Voltar

Mulheres transformam sentimentos e emoções em projeto coletivo

Publicada dia 16/03/2021 às 17:43:58

mulheres-transformam-sentimentos-e-emocoes-em-projeto-coletivo

Renan Alves


Com a proposta de trazer diferentes olhares sobre as emoções, nasceu o projeto “Emoções sob diferentes olhares...”, que envolve nove mulheres: filhas, mães, tias e avós de diferentes profissões e de diferentes localidades. O projeto culminou na produção do livro “Sinto o que Conto, Contos que Sinto”, por meio de financiamento do site Catarse, é coordenado pela psicóloga e autora Maria Vilela George, que reside na Flórida, EUA.

De acordo com Maria, o livro traz, por meio de uma linguagem poética, com prosa e poesia, a oportunidade de mergulhar em sentimentos e emoções.  “Sempre tive o sonho de ter um projeto de pessoas de áreas e lugares diferentes. E por estarmos em um momento histórico por conta da pandemia, nada mais propício do que falar em emoções. Assim, criamos um grupo, com um laço forte de amizade, que deu origem a um material muito interessante ao se abordar a questão das emoções”, ressaltou.

O livro conta com textos de Adriana Bordinhão Viciolli, que é professora da ETEC Jacinto Ferreira de Sá em Ourinhos e especialista em contação de histórias, com diversos trabalhos de incentivo à leitura na região. Também conta com textos da jovem Alyssa Tomiyama, Cibele Madai Valderramas, Elaine Alcantara, Flávia Bruno Neves, Maria Beatriz Marinho dos Anjos, Maria Vilela George, Rossane Correia de Brito e Valéria Maria Fusch Ferreira. E, para ilustrar todo o material, com ilustrações de José Luiz Gozzo Sobrinho. Cada autor escreveu um conto, e cada conta aborda de forma lúdica e poética, um sentimento diferente, conversando sobre emoções com crianças de diferentes idades, inclusive com aquelas que ainda vivem em nossos corações.

Conversando sobre sentimentos

O pequeno Miguel Rodrigues Giacon, morador de Santa Cruz do Rio Pardo, já garantiu o seu na compra pela Internet. Apesar da pouca idade, sua mãe relata que e ele gosta muito do livro! “Toda noite ele pede para ver o livro. Carrega por onde vamos, desde a casa da avó até o sítio. Como ele ainda não sabe ler, nós lemos para ele, e ao final, sempre recria suas próprias ‘historinhas’ partindo das ilustrações’”, conta sua mãe, a comerciante Silvia Giacon. O exemplo do pequeno Miguel nos mostra que não existe idade nem lugar para apreciar uma boa leitura! O livro Sinto o que Conto, Contos que Sinto, está à venda pela site da Editora Adonis, pelas redes sociais do próprio livro (Instagram e Facebook @contosquesinto) e pelo e-mail sintooqueconto@gmail.com.

Compartilhar nas redes sociais