< Voltar

Atriz e pedagoga santa-cruzense conta histórias e dá dicas literárias na internet

Publicada dia 23/10/2020 às 11:39:09

Arquivo Pessoal

atriz-e-pedagoga-santa-cruzense-conta-historias-e-da-dicas-literarias-na-internet

Diego Singolani


Em um momento onde o ambiente virtual se tornou o ambiente possível por causa da pandemia, a santa-cruzense Nina Brondi, que é atriz, pedagoga e contadora de histórias, decidiu ocupar um pedacinho da internet para falar sobre literatura infantil. Ela lançou um canal no YouTube chamado Mar de Histórias, cujo foco, mais do que simplesmente entreter os pequenos, é despertar o amor pelos livros desde cedo.

Nina nasceu e foi criada em Santa Cruz do Rio Pardo, de onde saiu para estudar aos 17 anos de idade. Seus pais e outros familiares continuam vivendo na cidade natal, que ela visita com certa frequência, hoje morando em Londrina (PR). A gênesis do Mar de Histórias, na verdade, veio do Instagram, onde ela já mantém o projeto há cinco anos, dando dicas de literatura para crianças. “A ideia surgiu quando eu trabalhava em uma biblioteca e comecei a conhecer vários livros que, como professora, eu não conhecia. Então eu decidi compartilhar com outros professores e com os pais”, relembra. 

Durante a pandemia, Nina viu a possibilidade de expandir a iniciativa para o YouTube, onde posta toda quarta-feira uma nova história, contada por ela de forma lúdica e utilizando também objetos do dia a dia de toda a criança, para representações. “Não é um canal infantil. É um canal para toda a família. A proximidade da família é importante na formação dos pequenos leitores e o conteúdo pode ser acompanhado pelos pais e demais adultos. Todos conseguem embarcar na história”, afirma Nina.

A atriz, que é mãe de duas filhas, revela que as famílias interagem bastante, principalmente pelo Instagram do Mar de Histórias, pedindo dicas para momentos específicos que estão vivendo. “As histórias também ajudam a criança a superar desafios de suas rotinas, como desfralde, dar tchau para a chupeta, ou até mesmo lidar com temas complexos, como a morte”, explica.

Nina diz que, durante a quarentena, uma das experiências mais gratificantes tem sido receber relatos de professores que recomendam seus vídeos para os alunos. “Mais do que formar leitores, é um trabalho de conscientização das famílias sobre a importância da infância, de respeitar essa fase das crianças, e viver a criança que também existe dentro de cada um de nós”, afirma. 

Compartilhar nas redes sociais