< Voltar

Câncer de mama: prevenção é o melhor remédio

Publicada dia 15/10/2020 às 14:25:42

Isadora Iaroseski

cancer-de-mama-prevencao-e-o-melhor-remedio

Diego Singolani


O câncer de mama ainda é o tumor mais frequente e que mais mata as mulheres no Brasil e no mundo. O Outubro Rosa é uma campanha mundial criada na década de 90 para conscientizar a população sobre a importância da detecção e diagnóstico precoce, além do tratamento e cura do câncer de mama, compartilhando informações científicas e comprovadas sobre a doença. O Atual convidou o médico radiologista Marcelo Belei Zilio, que agora atende no Serviço de Diagnóstico por Imagem (SDI) da Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz, para falar sobre o tema, Confira os principais trechos da entrevista:

Atual - Qual a melhor maneira de prevenir o câncer de mama?

Marcelo Belei Zilio - As principais causas do câncer de mama podem ser o histórico familiar e/ou fatores ambientais. As alterações nos genes podem ser herdadas (casos dos cânceres hereditários) ou adquiridas. O câncer de mama hereditário corresponde a cerca de 5% a 10% dos casos, ou seja, quando existem parentes de primeiro grau com a doença. Portanto, 90% dos casos de câncer de mama não têm origem hereditária. Evitar a obesidade, através de dieta equilibrada e prática regular de exercícios físicos, é uma recomendação básica para prevenir o câncer de mama, já que o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença. A ingestão de álcool, mesmo em quantidade moderada, é contraindicada, pois é fator de risco para esse tipo de tumor. Amamentar é também um fator protetor. A prevenção primária dessa neoplasia ainda não é totalmente possível devido à variação dos fatores de risco e as características genéticas que estão envolvidas na sua etiologia.

Atual - Qual a diferença entre nódulo maligno e benigno?

Marcelo Belei Zilio - Um tumor pode ser benigno (não tão perigoso para a saúde) ou maligno (mais perigoso para a saúde). Os benignos não são considerados cancerígenos, suas células têm aparência próxima do normal. Elas crescem lentamente e não invadem os tecidos vizinhos, nem se espalham para outras partes do corpo. Já os tumores malignos são cancerosos. Caso suas células não sejam controladas, podem crescer e invadir tecidos e órgãos vizinhos, eventualmente se espalhando para outras partes do corpo.

Atual - Quando se deve fazer o rastreamento com a mamografia?

Marcelo Belei Zilio - No Brasil, o rastreamento mamográfico é recomendado pelo Ministério da Saúde dos 50 anos aos 65 anos. A SBM (Sociedade Brasileira de Mastologia) / CBR (Colégio Brasileiro de Radiologia) / FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.) recomendam rastreamento anual a partir dos 40 até os 75 anos. Essa estratégia é a que tem maior impacto na mortalidade.

Atual - Câncer de mama também atinge os homens?

Marcelo Belei Zilio - Sim, os homens representam 1% dos casos de câncer de mama. A média de idade dos homens que apresentam a doença varia de 50 a 70 anos. Na maioria dos casos, a detecção é feita em estágio avançado, o que pode dificultar o tratamento e haver metástases. 

Atual - Uma mulher que a mãe teve câncer de mama com 40 anos, com qual idade ela deverá fazer sua primeira mamografia?

Marcelo Belei Zilio -  Mulheres com parentes de primeiro grau (mãe, irmãs ou filhas) com história de câncer de mama antes dos 45 anos ou com história de câncer de mama bilateral ou câncer de ovário em qualquer idade são consideradas de alto risco. Para mulheres de alto risco, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda mamografia a partir dos 30 anos ou 10 anos antes do caso de câncer na família, porém nunca antes dos 25 anos. O Ministério da saúde recomenda para esse grupo mamografia após os 35 anos. São consideradas também mulheres de alto risco aquelas com história de parentes de primeiro grau com câncer de mama em homem (irmão, pai ou filho).

Compartilhar nas redes sociais