< Voltar

“Não vou asfaltar!”, afirma Otacílio sobre ruas da praça Antônio Aloe

Publicada dia 13/11/2020 às 10:48:33

Renan Alves

-nao-vou-asfaltar-afirma-otacilio-sobre-ruas-da-praca-antonio-aloe

Diego Singolani


O prefeito Otacílio Parras Assis (PSB) rechaçou qualquer possibilidade de as ruas que ficam no entorno da praça Major Antônio Aloe serem totalmente asfaltadas no seu governo. O chefe do Executivo afirmou que não quer ser lembrado na história como aquele que acabou com os paralelepípedos do marco zero de Santa Cruz do Rio Pardo. Otacílio disse que mesmo se a Câmara aprovar uma lei que obrigue a realização da obra ele irá contestá-la.

As declarações foram dadas durante entrevista à rádio 104 FM na semana passada, após a bancada governista conseguir o adiamento da votação de um projeto de autoria do vereador Joel de Araújo (Republicanos) que permitiria a Prefeitura concluir a pavimentação das ruas Saldanha Marinho, General Osório e Cel. Julio M. Salgado, que cercam a Praça Major Antônio Aloe, no Centro da cidade. Atualmente, as vias estão asfaltadas pela metade, já que uma parte do piso original, construído com paralelepípedos nos anos 1930, foi preservada por lei. Moradores da região reclamam do barulho e trepidação causados pelos paralelepípedos e querem o asfaltamento total das ruas.

Otacílio defendeu a obra do jeito que está e disse que falta apenas a conclusão da sinalização de trânsito no local para que fique claro aos motoristas que só será permitido transitar pela parte asfaltada. Ao ser questionado sobre as críticas tanto por parte de moradores, como de pessoas ligadas a preservação do patrimônio histórico, o prefeito afirmou que a iniciativa atende aos interesses de Santa Cruz. “O município perdura, enquanto as pessoas desaparecem. Quem defende o patrimônio ficou descontente porque queria a manutenção de 100% dos paralelepípedos. Os moradores reclamam porque querem 100% de asfalto. Não tem como agradar esse povo”, disse. “Nosso objetivo foi preservar uma parte do patrimônio e também melhorar o sossego dos moradores, que sofrem a trepidação das casas principalmente causadas por veículos pesados em alta velocidade”, justificou o prefeito.

O chefe do Executivo foi enfático ao afirmar que não há a menor possibilidade de as ruas serem totalmente asfaltadas durante a sua gestão, mesmo que a Câmara aprove uma alteração da lei existente. “Se aprovarem uma lei me obrigando a asfaltar, vou desobedecer”, disse. “Se eu asfaltar aqueles paralelepípedos, vou ser criticado pelo resto da vida pelos historiadores de Santa Cruz. O prefeito que fizer isso será lembrado por essa obra, e contra a preservação histórica”, declarou Otacílio. 

Sem monumento

O prefeito também criticou uma sugestão encaminhada a ele para que os paralelepípedos originais fossem arrancados e utilizados para a construção de uma espécie de monumento no centro da praça. “Falaram para arrancar os paralelepípedos e fazer um muro. Não tem nada a ver. É como destruir o centro de Paraty (RJ) e construir um prédio com as pedras. Nunca vi. Seria como um muro das lamentações. As pessoas vão olhar e dizer: ‘olha o que fizeram com os paralelepípedos’, lamentando”, disse.

Compartilhar nas redes sociais