< Voltar

Com Covid-19 em alta, vereadores corrigem falha em lei das máscaras

Publicada dia 20/03/2021 às 11:26:58

Pedro Figueira

com-covid-19-em-alta-vereadores-corrigem-falha-em-lei-das-mascaras

Thaís Balielo


A última sessão ordinária da Câmara Municipal aconteceu na segunda-feira, 15, e foi tranquila. Um dos assuntos de destaque foi uma correção na lei do uso de máscaras que havia sido aprovado na sessão anterior. A lei aumentava a multa para aglomerações e festas clandestinas e previa multa para o não uso de máscara, mas como não explicava onde o uso da máscara seria obrigatório, precisou da votação de uma emenda para regulamentar o tema.

A emenda aprovada pelos vereadores especifica que a máscara deve ser utilizada “em espaços públicos e privados acessíveis ao público, em vias públicas e em transportes públicos coletivos, bem como em veículos de transporte remunerado individual de passageiro por meio de táxis”.

Três requerimentos do vereador Juninho Souza (Republicanos) foram votados em destaque e recusados. Um deles pedia informações sobre quanto já foi gasto em Santa Cruz no combate à Covid separadamente no montante de verbas estaduais, federais e municipais. Os vereadores não aprovaram o requerimento e justificaram na sessão que essas informações já estão na Câmara, visto que todos os balancetes da Saúde são enviados ao legislativo.

Este tema causou certo atrito entre vereadores da base e Juninho. O vereador Professor Duzão (PSB) chegou a dizer que “falta certo lastro intelectual para entender que este requerimento já está respondido”, disparou.

Outros requerimentos negados pedem informações sobre variados temas. Cada vereador pode protocolar quatro requerimentos, mas com requerimentos que incluíam perguntas sobre mais de um assunto, a casa optou por não encaminhar os requerimentos ao executivo.

Um ano após o início das restrições de circulação e fechamento de escolas em Santa Cruz, a situação da Covid no município, como em todo País, passa por seu pior momento. Na quinta-feira, 18, foi confirmado o 31º óbito pela doença na cidade e a situação da Santa Casa é crítica. Até o fechamento da edição haviam 40 pacientes internados, sendo 29 em isolamento respiratório em clínica médica e 11 na Unidade de Terapia Intensiva (5 em suporte ventilatório invasivo e 6 em suporte respiratório não invasivo).

Na quinta-feira, 18, também ocorreu a morte do senador Major Olímpio (PSL), aos 58 anos, por Covid-19. O político esteve em Santa Cruz durante a pré-convenção que lançou o nome de Luciano Severo como candidato a prefeito, mas que acabou derrotado pelo prefeito Diego Singolani (PSD).

O senador estava internado no Hospital São Camilo em São Paulo há duas semanas e teve morte cerebral na quinta-feira, devido a complicações do quadro. O diretório do Partido Social Liberal (PSL) de Santa Cruz do Rio Pardo emitiu uma nota de pesar pela morte do senador e lembrou que para o município, o político destinou no ano passado cerca de R$150 mil reais para a APAE e aproximadamente um milhão via Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus além de conseguir a liberação do CEBAS para o Lar São Vicente de Paula receber recursos da União.

Compartilhar nas redes sociais