< Voltar

“Foi um milagre e tanto”, diz Bombom sobre cirurgia

Publicada dia 13/11/2020 às 15:32:00

Arquivo pessoal

-foi-um-milagre-e-tanto-diz-bombom-sobre-cirurgia

Diego Singolani


O primeiro retorno médico de Joelso Leão, 27, ao Hospital das Clínicas de Marília causou espanto em toda a equipe de saúde. Bombom, como é mais conhecido, chegou caminhando e falando com naturalidade. Nem parecia que, 15 dias antes, o jovem havia passado por uma delicada cirurgia que durou cerca de 10 horas para a retirada de um grande tumor no lado direito do cérebro. A excelente recuperação das sequelas motoras veio acompanhada de uma notícia ainda mais impactante: o resultado da biópsia apontou que Bombom não precisará realizar quimioterapia ou radioterapia. Para o vendedor de trufas, somente uma palavra define toda a experiência enfrentada por ele: milagre.

Bombom ainda terá de fazer outros exames para que seja avaliado o impacto do procedimento extremamente invasivo. “Eles retiraram um pedaço, né (do cérebro)”, comenta o jovem em tom de brincadeira. Aliás, o bom-humor é uma característica que Joelso manteve durante todo este período conturbado. Ele segue fazendo fisioterapia e tomando remédios. As sequelas principais foram do lado esquerdo do corpo, além da fala. Passado mais de um mês da cirurgia, Bombom já conversa normalmente, recuperou o movimento da perna esquerda, mas a mão permanece prejudicada. “Foi um milagre e tanto. Foi Deus. Tudo está fluindo como deveria acontecer. O universo trabalha para colocar cada peça no seu lugar”, afirma Bombom.

A mãe de Joelso teve que voltar para Minas Gerais e o vendedor de trufas, que mora sozinho em Santa Cruz, tem contado com a solidariedade de amigos e vizinhos para auxiliá-lo em tarefas da rotina diária. A ajuda financeira angariada através da vaquinha online, lives e doações, tem servido para que Bombom se mantenha neste período de recuperação. 

Planos

Em curto prazo, Bombom deseja voltar a produzir suas trufas já a partir do mês que vem. O jovem alimenta vários sonhos para o seu negócio, como ampliar sua cozinha, aumentar a equipe - que hoje conta apenas com ele -, e aproveitar a grande visibilidade que o seu caso trouxe para levar suas trufas para cada vez mais pessoas. Porém, Bombom é cauteloso e traça seus planos dia após dia. “Depende do futuro, depende do plano de Deus. A gente nunca sabe se vai cair um meteoro”, brinca. “Eu jamais esperava um tumor no cérebro. Eu me imaginava trabalhando, melhorando meu negócio, e passei por tudo isso”, declarou.

Compartilhar nas redes sociais