< Voltar

Esportiva pode ficar sem jogar em 2020 e presidente já fala em renúncia

Publicada dia 01/02/2020 às 13:10:57

Renan Alves

esportiva-pode-ficar-sem-jogar-em-2020-e-presidente-ja-fala-em-renuncia


A Federação Paulista de Futebol (FPF) vetou o Estádio Municipal Leônidas Camarinha para a realização de jogos do Campeonato Paulista da Segunda Divisão – quarto patamar do futebol do Estado -, que começa no próximo dia 12 de abril. A decisão foi tomada após um laudo técnico apontar que o local não possui a capacidade mínima de público exigida - que é de quatro mil lugares. Com a decisão, anunciada na quarta-feira, 29, a Associação Esportiva Santacruzense foi excluída do torneio. Membros da diretoria do clube e representantes da prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo, responsável pelo estádio, afirmam que irão recorrer e alegam um possível erro na contagem de assentos.

O presidente da Esportiva, Luciano Galego Rosalen, disse na quinta-feira, 30, que foi pego de surpresa com a informação. “Eu e o Domingos do Carmo, vice-presidente, estivemos ontem, 29, na sede da FPF para participar do conselho arbitral, onde os times recebem as primeiras orientações sobre o campeonato. Fomos informados que a Santacruzense está fora da lista dos 36 clubes devido à falta de capacidade do estádio e que só poderíamos acompanhar o evento como espectadores. Foi uma ducha de água fria”, afirmou. De acordo com Galego, o laudo de engenharia anterior, que estava vencido desde novembro do ano passado, atribuía ao Leônidas Camarinha capacidade para cerca de 4.900 pessoas. O novo laudo, expedido na semana passada, diminuiu a capacidade para 3.343 assentos. “Não sei o que houve, onde foram parar esses 1.600 lugares de diferença. O problema maior é que deixaram tudo para a última hora, em cima do prazo”, declarou o presidente. A responsabilidade por providenciar os laudos de engenharia, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária cabe à prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo, dona do estádio. Galego disse que ainda há esperança, já que outros clubes também enfrentam problemas burocráticos e podem ser inseridos no campeonato. “Foram anunciadas 36 equipes, mas esse número pode chegar a 41. Se não conseguirmos uma solução, eu renuncio à presidência. Não faz sentido continuar”, desabafou.

Na sexta-feira, 31, o prefeito Otacílio Parras Assis (PSB) negou que tenha havido atraso no procedimento por parte da prefeitura. “Nós começamos a solicitar os documentos em agosto do ano passado. A finalização do processo é que ocorreu no último dia de prazo. Existem burocracias dos órgãos”, afirmou. O prefeito também salientou que o Leônidas Camarinha não foi interditado e que o estádio tem todas as liberações para uso por parte da administração. “Ele apenas foi considerado não apropriado para a disputa do campeonato da federação, devido a capacidade”, disse. Otacílio revelou ter ligado para o vice-presidente da FPF e que o deputado estadual Ricardo Madalena (PL) também manteve contato com o presidente da entidade. “Expliquei que a capacidade do estádio continua a mesma, para 4.900 pessoas. Não sumiram 1.600 lugares, como disseram alguns. Os critérios de contagem é que foram diferentes. Pedimos mais um prazo para regularizar a situação”, declarou o prefeito. Hoje, 1º, representantes da FPF estarão em Santa Cruz do Rio Pardo para fazer fotos do estádio Leônidas Camarinha e avaliar sua real capacidade.

Compartilhar nas redes sociais