Jornal Atual
< Voltar

Pandemia alterou modelo dos casamentos

Publicada dia 15/07/2021 às 11:13:33

Arquivo pessoal

pandemia-alterou-modelo-dos-casamentos

Thaís Balielo


A pandemia causada pelo coronavírus afetou o setor nupcial de uma maneira significativa. No inicio do fechamento de tudo, muitos casais tiveram que adiar seus casamentos devido a incerteza de não saber o que passaria nos próximos meses. No entanto, com o tempo, os casais foram tendo que se adaptar ao “novo normal” e os casamentos voltaram a ocorrer. Fotógrafos, buffets, e tantos profissionais do ramo também tiveram que se adaptar a novos estilos de festividades.

Proprietário de um buffet, Felisberto Ângelo Ferrari, conta que mudou drasticamente tudo com a pandemia. “Ficamos juntamente com o pessoal de eventos todos parados. Além de nós, toda a rede de serviços (garçons, mestre de cerimônia, salão de eventos, etc) pararam desde março de 2020”, diz.

Felisberto conta que os eventos foram adiados ou cancelados. Quando se percebeu que o isolamento iria durar mais tempo do que se esperava, os casais voltaram a marcar os enlaces, mas com poucos convidados e tudo adaptado para seguir os protocolos.

Ele relata que este ano realizaram pequenos eventos e também criaram cardápios que são preparados e os noivos retiram os pratos para levar. “Ainda está bem devagar para o setor, mas começa a fluir”, acredita.

A fotógrafa Églea de Britto conta que o setor de fotografia precisou se reinventar para sobreviver neste período. “Não posso reclamar, não parei de trabalhar”, afirma. São casamentos menores, só para o núcleo familiar e que ficamos menos tempo, só para fazer as fotos necessárias. Por conta da pandemia as pessoas estão fazendo mais ensaios também. “Os 15 anos, por exemplo, não tem festa, mas fazem ensaio com a debutante e a família. Fazem cabelo, maquiagem, roupa nova, então acaba movimentando o setor de eventos de alguma forma”, argumenta.

A juíza de paz Regina Biazoti revelou que não teve queda considerável no número de casamentos. Ela atribui a isso que muitos que tinham as cerimônias marcadas mantiveram o casamento no civil e deixaram para realizar o enlace religioso depois e, então, poder fazer a tão sonhada festa. Ela relata que alguns casais também seguiram com o planejamento do casamento, porém modificaram o número de convidados para um evento apenas para o núcleo familiar.

“Nesta época de pandemia fizemos apenas dois casamentos em diligência (quando é realizado fora do cartório). Foram com poucas pessoas, mantendo o distanciamento, e todos de máscara. Acredito que 98% fazem os votos e troca das alianças no cartório”, diz.

Regina explica que a principal mudança nos casamentos no cartório é que tem o limite de 10 pessoas contando o fotógrafo e equipe do cartório, todos de máscara e são feitos ao ar livre. “O número não diminuiu muito, pois a maioria casa no civil para legalizar a situação, então não sentimos muita queda”, afirma.

Moradores de Santa Cruz do Rio Pardo, a bancária, Ana Paula da Silva, 28, e o professor, André Luiz Santos de Oliveira, 33, se casaram no dia 11 de junho em uma cerimonia íntima em Santo Antônio da Platina, cidade natal do casal. Eles escolheram se casar durante a pandemia, mas ainda pretendem realizar outra cerimônia quando tudo acabar e poder convidar todos amigos.

“Decidimos oficializar o nosso relacionamento, depois de uma conversa com o padre amigo nosso. Na conversa, ele nos falou de fazer um casamento canônico (somente na igreja). Pensamos alguns dias e resolvemos marcar. Então casamos no religioso e depois iremos casar no civil quando pudermos fazer uma festa maior”, conta Ana Paula.

A noiva conta que o dia foi muito especial, apesar de sentir falta de muitas pessoas, estavam presentes os parentes e entes queridos mais próximos. “Foi tudo perfeito, do jeito que estávamos sonhando, um casamento simples e que passou muita emoção”, afirma.

Compartilhar nas redes sociais