Jornal Atual
< Voltar

Sedentarismo na quarentena pode causar alterações hormonais

Publicada dia 19/05/2020 às 14:11:06

Thaís Balielo

sedentarismo-na-quarentena-pode-causar-alteracoes-hormonais

Diego Singolani


Além do aspecto emocional, o isolamento e a falta de atividade podem prejudicar o corpo e trazer prejuízos metabólicos mesmo às pessoas mais saudáveis. Uma pesquisa publicada pelo Journal of the American Medical Association (JAMA), dos Estados Unidos, mostrou que mesmo adultos fisicamente ativos tendem a apresentar piora no metabolismo após diminuírem o número de passos diários em um período curto de tempo. O Atual conversou com o médico endocrinologista e especialista em metabologia Valdinei Garcia sobre o tema. Confira os principais trechos da entrevista:

Atual - É normal o ganho de peso numa situação como esta da quarentena? Há um limite, a partir do qual a pessoal deva se preocupar mais seriamente?

Valdinei Garcia - Numa quarentena, onde se restringe a circulação de pessoas, os estudos mostram um ganho de peso em toda a população, por aumento de ansiedade, fácil acesso à comida e redução de atividade física, com consequente menor gasto de energia. Esses efeitos já são vistos após 14 dias. O limite de ganho de peso de 5 kg (para um adulto)  é o máximo tolerado, pois a partir desse incremento de peso, o corpo sofre repercussões metabólicas importantes e que se não revertidas, tornam-se duradouras.

Atual - O ganho de peso rápido pode gerar que tipo de consequência no sistema endócrino e na saúde de forma geral?

Valdinei Garcia - Todo ganho de peso que se mantenha, acarreta alterações em vários hormônios, tais como insulina, cortisol (hormônio do estresse), tsh (hormônio da tireoide), além de piorar o processo inflamatório do organismo. Não bastasse isso, um hormônio alterado, influência em outros, tornando o processo um ciclo vicioso. Há piora dos níveis da glicose sanguínea, aumento de níveis pressóricos, aumento de marcadores de inflamação no organismo, e consequente aumento de risco cardiovascular. Para uma pessoa jovem, isso é ruim, mas não traz consequências imediatas, mas para um indivíduo que já tenha algum complicador, isso pode ser o gatilho para graves consequências.

Atual - As pessoas relatam fome exagerada, constante e, muitas vezes, específica por alimentos hipercalóricos. O que explica isso?

Valdinei Garcia - Os alimentos calóricos são mais palatáveis (trazem satisfação pelo gosto), por serem a base gorduras e carboidratos de rápida absorção, e por isso são mais consumidos na ansiedade. Em toda situação de estresse, o organismo opta por armazenar energia, como precaução, e por isso nosso cérebro, instintivamente nos proporciona mais desejo de alimentos hipercalóricos. Somando isso ao fato de alimentos hipercalóricos serem mais fáceis de consumir e geralmente prontos, o consumo cresce enormemente, e em pouco tempo já há repercussão no peso e em outros marcadores de saúde.

 Atual - Qual a relação da alimentação com a imunidade? É possível potencializá-la?

Valdinei Garcia - Alimentação variada, balanceada em calorias, proteínas, fibras, além de gorduras e açúcares, traz melhor resposta imunológica, no enfrentamento de doenças e situações de estresse infeccioso. Esse efeito é de forma indireta, pois mantém o corpo funcionando bem, sem dificuldade de reação a situações críticas. Isso não ocorre instantaneamente, e potencialização de imunidade pela dieta, requer disciplina alimentar e paciência, pois precisa de tempo para se instalar uma estabilidade benéfica no nosso corpo. Balancear a dieta é o correto, aliado a atividade física e horas de sono com qualidade adequadas. Requer disciplina por parte das pessoas.

Atual - Pessoas que já possuem alguma comorbidade, como diabetes, devem redobrar a atenção?

Valdinei Garcia - Essas pessoas em especial, devem ter em mente que o controle dos níveis de glicemia e dos parâmetros de saúde deve ser rigoroso, pois essa patologia que tanto afeta os brasileiros, causa uma grave inflamação no organismo, potencializando os efeitos indesejáveis da infecção pelo Covid-19. Redobrar atenção, manter contato com seu médico, e ter plena ciência de como está o seu controle da doença, fazem muita diferença entre um indivíduo que irá sofrer e outro que irá superar facilmente a pandemia.

Atual - Qual a orientação do especialista para as pessoas que tem enfrentado essa rotina?

Valdinei Garcia - Disciplina, higiene, manter o controle de seus tratamentos em dia e acima de tudo, paciência para aguentar essa fase difícil. Dias melhores virão, mas sem controle adequado, o risco de gravidade aumenta. É tempo de superação e consciência de que nosso maior bem é saúde, física e mental.  Desejo a todos sabedoria e muita fé, que dias melhores virão em breve.

Compartilhar nas redes sociais