Jornal Atual
< Voltar

Meditação pode diminuir ansiedade e medo durante a pandemia

Publicada dia 30/04/2020 às 09:51:23

Arquivo Pessoal

meditacao-pode-diminuir-ansiedade-e-medo-durante-a-pandemia

Diego Singolani


“Se interpretarmos a ansiedade como excesso de futuro em nossa mente, estar presente vivendo apenas o agora é a melhor forma de lidar com ela”. A reflexão é de Diogo Guimarães Ladeira, designer e ilustrador, e que também tem formação em Yoga e meditação. Natural de Santa Cruz do Rio Pardo e atualmente morando em Bauru (SP), Diogo falou ao Atual sobre como as técnicas podem ajudar a alcançar o autocontrole emocional em meio a um contexto de medo e incertezas gerado pela pandemia do novo coronavírus.

Diogo conheceu o Yoga em 2010, por indicação de um amigo, e diz que começou a perceber mudanças positivas em seu comportamento e visão de mundo. "Notei que estava menos ansioso, mais presente e mais consciente das minhas ações", afirma. Com o tempo, Diogo sentiu o desejo de compartilhar essa experiência de transformação pessoal com outras pessoas. Em 2015, ele participou de uma formação em Yoga da linha Hatha, um tipo de prática bem tradicional. "Eu dava aulas em Pederneiras (SP), mas com a mudança para Bauru e a chegada do nosso bebê, precisei parar com as aulas, que pretendo retomar em algum outro momento. Hoje uso o Yoga e a meditação como uma ferramenta de desenvolvimento pessoal", explicou.

Para Diogo, as pessoas são constantemente estimuladas a olhar para fora e acabam se perdendo dianta da quantidade de informação. "Nunca experimentamos um quadro tão alto de ansiedade, medo e insegurança como no cenário atual. Portanto, o Yoga e a Meditação nos oferecem o contrário; essas práticas nos convidam a olhar para dentro e reconhecer quem nós realmente somos", diz. “Meditação é um estado de consciência. Então, é possível, por exemplo, sairmos de um estado emocional alterado, como de ansiedade, de medo, de raiva e ir para um estado de paz e tranquilidade em poucos minutos, apenas se sentando e observando sua respiração. Para mim esse é o maior benefício, podermos trocar os remédios pela boa e velha respiração”, declarou Diogo. 

Faça em casa

O profissional recomenda que as pessoas procurem, sempre que possível, um curso ou um professor de Yoga/Meditação que possa conduzir a sua prática. “O Yoga é uma excelente ferramenta para se começar, porque ele vai trabalhar o seu corpo, sua mente e suas atitudes para que a meditação possa acontecer da melhor forma”, explica Diogo. Para um primeiro contato, no dia a dia, durante a quarentena, Diogo dá duas dicas de prática: “Algumas vezes ao dia, experimente parar tudo o que estiver fazendo e por apenas 1 ou 2 minutos se mantenha imóvel, apenas respirando conscientemente, inalando profundamente e exalando sem pressa. Você verá que dois minutos apenas já são o suficiente para trazer presença e tranquilidade para sua mente”;

“A segunda dica é separar alguns minutos pela manhã ou antes de dormir para meditar. Manter um horário fixo pode ajudar a se tornar um hábito. Sente-se confortavelmente de pernas cruzadas sobre uma almofada ou sobre uma cadeira (sentando-se na pontinha da cadeira), mantenha a coluna alinhada e de olhos fechados ou semiabertos, procure permanecer imóvel, prestando atenção na sua respiração, sentindo o ar entrando e saindo pelas narinas, percebendo o som da respiração, o ritmo, o movimento do abdômen, de forma que nada mais importe, apenas a respiração. Comece com uns 5 minutos e vá aumentando o tempo conforme achar necessário. É bom colocar um timer para a mente não ficar se preocupando se já está bom, se já pode parar. Também não se preocupe se ficar passando pensamentos pela sua mente, apenas observe o que pensou, tome consciência e volte a olhar para a respiração, só isso. Se fizer isto todos os dias, em poucos dias sentirá uma grande diferença em sua vida”, diz Diogo.

Compartilhar nas redes sociais