< Voltar

Gimenez e Padre Gerson são sabatinados no ‘Direto ao Ponto’

Publicada dia 08/10/2019 às 14:22:01

Jornal Atual

gimenez-e-padre-gerson-sao-sabatinados-no-direto-ao-ponto-

O ex-presidente da Codesan, Cláudio Agenor Gimenez e o padre da paróquia Nossa Senhora das Graças, Gerson Luiz Nogueira, foram os sabatinados das duas últimas semanas no programa ‘Direto ao Ponto’. Os episódios estão disponíveis na íntegra nas plataformas digitais do Atual.

Composto por cinco jornalistas em cada episódio, o programa abrange desde opiniões até fatos já presenciados pelos convidados.

O padre Gerson Luiz Nogueira tratou de temas polêmicos como, por exemplo, o uso de preservativos, casamento homossexual e o celibato para padres. “A queda de celibato e a ordenação de mulheres nunca vai acontecer, penso eu”, pontuou.

“O preconceito é grande. Não posso dizer se o homossexualismo é pecado, não podemos condenar a pessoa, dizer que ela vai pro inferno”, afirmou o padre. Gerson afirmou ainda que casais de segunda união podem anular seu primeiro casamento, e num futuro não tão distante poderão comungar e confessar. “O injusto é você viver com alguém que pisa na bola. Deus não vai deixar de te amar porque você separou”, disse.

Sobre exorcismo, Gerson afirmou que não conhece no Brasil padres especializados e autorizados pelo Vaticano. “A coisa mais fácil é tirar o capeta, basta água benta e a cruz. Não precisa de espetáculo e um show”, afirmou o padre dizendo que nunca presenciou algo sobrenatural.

Já Cláudio Gimenez começou o programa lembrando o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. “Gostaria de fazer uma saudação a uma pessoa que está em uma situação que não deveria estar, Lula livre”, disse fazendo a letra L com as mãos.

O ex-presidente da Codesan também atacou por diversas vezes o vereador Luciano Severo (PRB). “Só vamos falar do processo eleitoral a partir de fevereiro de 2020. Mas esse pré-candidato era tão perfeito na época que já sabíamos que era de mentira. Ele nunca fez parte do nosso campo político, apenas encostou porque não teve coragem de enfrentar”, afirmou.

Sobre ser acusado de ter participado do desvio milionário realizado na Prefeitura Municipal pela ex-tesoureira Sueli Feitosa, Gimenez afirmou que a Justiça mostrará a verdade. “Eu estou sendo caluniado e essa situação virou minha vida do avesso, o meu nome a minha vida já foram pra lama. Eu não participei de nada disso e entendo que as condenações vão mostrar isso”, disse.

Compartilhar nas redes sociais