< Voltar

Severo chora ao vivo e afirma que Otacílio pagou para que ele não disputasse eleição

Publicada dia 13/08/2020 às 17:08:49

Reprodução/ 104 FM

severo-chora-ao-vivo-e-afirma-que-otacilio-pagou-para-que-ele-nao-disputasse-eleicao

Renan Alves


O vereador Luciano Aparecido Severo (Republicanos) afirmou em entrevista à rádio 104 FM nesta quinta-feira, 13, que o prefeito Otacílio Parras Assis (PSB) pagou para que ele não disputasse as eleições municipais de 2008. Severo apresentou a cópia de um cheque de Otacílio no valor de R$ 3 mil datado de outubro de 2006. Segundo o vereador, que nunca descontou o cheque e guardou o documento por quase 14 anos, a intenção de Otacílio era comprá-lo, para que ele ficasse de fora da disputa de 2008. Aos prantos, Severo disse estar sendo alvo de ataques com fins eleitoreiros por parte de Otacílio e que foi o prefeito quem tentou lhe corromper.

Na versão apresentada por Severo, Otacílio teria lhe dado o dinheiro sob a falsa justificativa de que queria lhe ajudar com os gastos de sua campanha a deputado estadual de 2006, da qual saiu derrotado. A real intenção, porém, seria tirar o atual vereador e pré-candidato a prefeito do páreo municipal de 2008. Severo acabaria disputando aquela eleição contra o próprio Otacílio e Maura Macieirinha (PSDB), que se sagrou vencedora.

“Ele afirmou que eu tentei corrompê-lo, que queria adquirir poder em cima dele. Em 2006 eu fui candidato a deputado estadual, a eleição foi no dia 4 de outubro, não sai vencedor. Otacílio não me apoiou e não se empenhou, mas depois, deixou um cheque no dia 11 de outubro de 2006 e falou que queria me ajudar a pagar minhas contas da campanha. Você já viu alguém ajudar o outro financeiramente? ajudar um candidato derrotado? Tentou me corromper, me comprar moralmente para que nas próximas eleições eu não saísse candidato ou o apoiasse”, afirmou Severo.

Segundo o político, em valores atualizados, a doação de Otacílio seria equivalente a R$ 15 mil nos dias de hoje. “Se ele quisesse me ajudar, esse não era o meio legal”, disse. O vereador declarou ter guardado o cheque até hoje por uma "luz de Deus", pois um dia talvez precisasse mostrar quem realmente era Otacílio Parras Assis.

O vereador garante que possui o cheque original e que essa é a prova da desonestidade do prefeito. “Tudo isso por causa de um processo eleitoral, que ele não quer perder, quer se segurar no poder”, disse.

Direito de resposta

A denúncia de Luciano Severo veio à tona um dia depois do prefeito também fazer acusações na mesma emissora. Otacílio afirmou que rompeu relações com Severo por ele não ser honesto. O prefeito voltou a falar sobre a CPI das horas extras da Codesan, presidida por Luciano Severo, então líder do governo na Câmara, alegando que o vereador tentou vazar documentos oficiais da investigação e até mesmo antecipar ao seu conhecimento as perguntas que lhe seriam feitas em depoimento. Otacílio ainda disse que o vereador tentou intermediar anúncios publicitários da prefeitura para um jornal em troca de apoio. Luciano Severo rechaçou todas as acusações e as classificou como mentirosas.

Compartilhar nas redes sociais