< Voltar

Obesidade é fator de risco para complicações de Covid-19

Publicada dia 22/03/2021 às 14:12:22

Fran & Du

obesidade-e-fator-de-risco-para-complicacoes-de-covid-19

Thaís Balielo


A nutricionista Ana Laura Saia Cavasini alerta para as complicações que podem ter as pessoas obesas em caso de infecção pelo novo coronavírus. Atrelado a isso, muitas pessoas têm ganhado peso desde o início da pandemia por conta do estresse e ansiedade gerados pelo distanciamento social e problemas de ordem econômica.

Ana Laura explica que estudos já apontam vários os riscos na relação entre essas duas doenças. Entre elas estão asma persistente, dessaturação de oxigênio provocada pela apneia do sono, problemas pulmonares uma vez que a pessoa pode aspirar o refluxo do estômago que vai para os pulmões, as bases pulmonares não são tão eficientes por causa da quantidade de gordura abdominal prejudicando a expansão do pulmão, além de complicações como diabetes, hipertensão e doenças coronarianas.

Além dos obesos já presentes na sociedade, muitas pessoas estão ganhando peso neste período. “A pandemia trouxe muitas emoções, provocando um estresse psicológico, contribuindo para o aumento de ingestão de alimentos, sedentarismo, compulsão alimentar, alimentação emocional. As pessoas buscam compensação com pequenos prazeres e esse prazer em comer é o que pode levar a maior ingestão de alimentos calóricos, trazendo o sobrepeso e obesidade como consequência”, alerta.

A profissional explicou que a obesidade é uma doença multifatorial que tem origem genética, como também fatores ambientais, emocionais e comportamentais. Sendo assim o primeiro passo para o tratamento é a consciência, novos hábitos, alimentação saudável, e prática de atividade física.

“Sem ela dificilmente se atingirá uma perda de peso necessária para melhorar a saúde e muito menos essa perda será duradoura. Não é sobre fazer restrições alimentares, dietas e emagrecer por um tempo, mas sim adotar um novo estilo de vida. Uma dica importante é lembrar-se de se perguntar antes de comer: estou mesmo com fome? É para nutrir minhas células ou é ansiedade?”, diz.

Segundo Ana Laura, a ansiedade nos faz enxergar e focar apenas nos problemas. “Dessa forma esquecemo-nos de focar no mais importante que é nossa saúde. A obesidade é uma doença crônica, além de um fator agravante para o covid. Ela merece cuidado, atenção e respeito. Se cuide e procure ajuda profissional”, aconselha.

Compartilhar nas redes sociais