< Voltar

Declaração de Imposto de Renda 2021 tem poucas mudanças

Publicada dia 09/03/2021 às 15:28:44

Pedro Figueira

declaracao-de-imposto-de-renda-2021-tem-poucas-mudancas

Thaís Balielo


A entrega da declaração do Imposto de Renda 2021 começou no dia 1º de março. O prazo para enviar é até as 23h59 do dia 30 de abril, pelo horário de Brasília. É importante ficar de olho no calendário. Quem perder a data terá de pagar multa de 1% sobre o imposto devido ao mês, com valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do imposto devido. Este ano o prazo para a entrega da declaração não será prorrogado como ocorreu em 2020, por conta da pandemia.

As mudanças em relação ao último ano são pequenas. A contadora Joira Lima explicou que a principal alteração que é preciso ficar atento é a questão do auxílio emergencial. Quem recebeu auxílio e teve outras rendas tributáveis no valor de R$ 22.847,76 ou mais, terá que fazer a declaração. “Quem não se atentar a isso pode deixar de declarar e ter que pagar multa”, alerta.

Para valores acima, o auxílio não só precisa ser declarado, como deverá ser devolvido ao fisco, por ele e seus dependentes. O valor do próprio auxílio não deve ser incluído no cálculo desse limite. O valor que deverá ser devolvido para o Governo Federal engloba apenas as parcelas do Auxílio Emergencial (parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200 - cota dupla). Não será preciso devolver o valor da Extensão (Auxílio Emergencial Residual – parcelas de R$ 300 ou R$ 600).

Joira esclareceu que a tabela do Imposto de Renda não sofreu alteração e segue com os mesmos valores, desde 2015. “Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), a defasagem chegou a 113,09%, considerando a inflação acumulada de 1996 a 2019, fazendo com que o brasileiro pague mais a cada ano. Se a tabela fosse ajustada de acordo com a inflação, a faixa de isenção que hoje é de R$ 1.903,98 por mês, seria ampliada para R$ 4.022,89”, explica.

Sobre a procura ao escritório para realizar a Declaração Joira diz que no início do prazo apenas os contribuintes que tem restituições costumar entregar as declarações para conseguir receber logo. Quem costuma ter que pagar imposto deixa para os últimos dias.

Para garantir o menor valor de imposto a pagar ou restituir o maior valor possível, é preciso declarar todas as suas despesas. Joira aconselha que o contribuinte procure um escritório de contabilidade para que seja auxiliado sobre as despesas dedutíveis e qual a melhor opção de declaração para cada caso (Simples ou Completa).

Para quem tem valores a serem restituídos os pagamentos serão feitos em cinco lotes nas datas respectivas 31 de maio, 30 de junho, 30 de julho, 31 de agosto e 30 de setembro.

Compartilhar nas redes sociais