< Voltar

Irritado, Otacílio “chama a responsabilidade” por decisões na pandemia

Publicada dia 30/07/2020 às 10:41:57

Renan Alves

irritado-otacilio-chama-a-responsabilidade-por-decisoes-na-pandemia

Diego Singolani


Após semanas de silêncio para a imprensa de Santa Cruz do Rio Pardo, o prefeito Otacílio Parras Assis (PSB) concedeu uma entrevista coletiva no último dia 17, na qual, além de anunciar novas regras para a reabertura do comércio local, respondeu sobre diversos temas ligados à pandemia do novo coronavírus. Visivelmente impaciente com as perguntas, Otacílio subiu o tom ao falar sobre dados da Santa Casa de Misericórdia, críticas de opositores políticos e ainda afirmou que Santa Cruz não terá um comitê de crise apenas para “dar pitacos” e “diluir responsabilidades”.

O prefeito foi interpelado sobre a falta de transparência da Santa Casa ao não divulgar o número de profissionais do hospital infectados pelo coronavírus, algo que tem sido habitual em outros municípios. Desvirtuando a questão, Otacílio disse que não seria emitido nenhum boletim sobre quem está doente - o que, na verdade, não lhe foi perguntado. “Não existe falta de transparência. Nada é oculto. Nós não divulgamos quem está doente nas empresas, nas lojas, nem nos bairros. A mesma regra vale para a Santa Casa”, afirmou. Nesta semana, a Santa Casa confirmou que quatro médicos testaram positivo para Covid-19, apresentaram sintomas moderados e estão em quarentena.

Sobre Santa Cruz não ter adotado um comitê de crise, com representantes de diferentes setores da sociedade civil, Otacílio foi enfático e rechaçou a proposta. “Comitê para dar palpite não resolve. Não temos especialistas suficientes para um comitê de crise. Graças Deus, eu sempre estudei bastante, sou médico, me preparei para ser prefeito, para administrar. Me oriento, sim, inclusive com colegas de fora. Mas assumo a responsabilidade, não a diluo”, declarou.

Sem citar nomes, Otacílio também apontou sua artilharia para os adversários que têm criticado algumas de suas decisões, principalmente em relação à flexibilização do comércio. “Estar fora da administração e dizer que está errado é fácil. Essas pessoas deveriam ficar quietinhas. Principalmente se for político. Ir à imprensa e dizer que faria diferente é jogar para a torcida. Nós não estamos jogando para a torcida, estamos agindo tecnicamente. Acha que algo está errado? Me ligue ou venha ao gabinete”, disparou.

Compartilhar nas redes sociais