< Voltar

Dia das Mães no trabalho é comum em muitas profissões

Publicada dia 11/05/2019 às 13:21:00

Thaís Balielo

dia-das-maes-no-trabalho-e-comum-em-muitas-profissoes

O domingo de Dia das Mães é igual para muitas pessoas. Um almoço com a família reunida, com a mãe, os filhos, um passeio e outros entretenimentos. Porém muitas mães passam o seu dia trabalhando como é o caso de enfermeiras, médicas, cozinheiras, funcionárias de empresas que atuam 24 horas, entre outras. Para essas mães a comemoração tem que ser feita em outro dia.

É o caso da técnica em enfermagem Maria Cecília Teixeira Gozzo, 33, que tem uma filha de seis anos chamada Eloísa. Antes de ser mãe ela conta que já passou muitos domingos destes longe de sua mãe. Depois da Eloísa nascer ficou três anos afastada da enfermagem e pôde curtir a filha, agora já está indo para o segundo Dia das Mães longe da Eloísa e de sua mãe.

Ela conta que procura fazer uma comemoração alternativa no sábado. “Passo o dia com minha filha e deixo bem explicado para ela porque não vou passar o domingo. Com a minha mãe eu janto a noite”, conta.

Questionada como faz com a saudade da filha neste dia, Maria Cecília afirma que tenta pensar que está fazendo outras mães felizes por estar cuidando de seus filhos na UTI neonatal onde trabalha. “É muito gratificante. Vale a pena ver que elas estão felizes de seus filhos estarem sendo bem cuidados”, afirma.

A enfermeira Vanessa Maia Tobias, já passou muitas datas especiais longe da filha Maria Clara, 17, e Ana Carolina, 4, mas este ano conseguiu trocar seu plantão e vai conseguir se reunir com a família. Ele relata que quando consegue folga nestas datas especiais costuma ir para Ourinhos passar com todas as mães da família.

“Quando trabalho no dia só dá para almoçar rapidinho e voltar a trabalhar. Geralmente fazemos algo no dia anterior também. É difícil passar longe das crianças. Eles esperam mais que a gente por esse dia, dependendo da idade é pior ainda. A gente pede foto pelo celular pra amenizar um pouco a saudade. Porém, quando escolhemos essa profissão já sabemos de tudo isso. É uma renúncia pra cuidar de quem precisa mais”, argumenta.

A caixa de posto de combustível, Renata Cristina da Silva, está acostumada a passar o Dia das Mães trabalhando, pois trabalha em postos há 10 anos. Mãe de um filho de 28 anos, uma filha de 19, e avó de quatro netos, sente falta de conseguir ficar junto de todos no Dia das Mães. “Pelo menos um tempinho consigo passar com os filhos neste dia, mas não dá para curtir muito”, lamenta.

A enfermeira Fernanda de Souza Garcia Luvisoto perde datas especiais há 10 anos. “Sempre passo as datas trabalhando, difícil as datas que consegui passar com a família”, conta. Mãe de um filho de 8 e outro de 3, Fernanda conta que eles sentem falta e reclamam.

“Para a gente também é difícil. Bate uma saudade dos filhos e da mãe. Falei para minha mãe que vamos fazer um churrasco no sábado e reunir todo mundo. Vamos comemorar do mesmo jeito. Dia das mães é todo dia. Vamos comemorar do mesmo jeito”, diz.

Compartilhar nas redes sociais