< Voltar

Com ajuda de familiares, alcoolismo pode ser superado

Publicada dia 26/08/2020 às 13:57:22

Reprodução

com-ajuda-de-familiares-alcoolismo-pode-ser-superado

Marcos Pellegatti


Quem não gosta daquela cervejinha gelada no fim de tarde, ou até mesmo um vinho nos dias frios? O que para muitos é uma satisfação, para outros pode ser um pesadelo. Segundo dados do Ministério da Saúde 17,9% dos brasileiros adultos fazem uso abusivo de bebida alcoólica.

O alcoolismo é caracterizado pela vontade incontrolável de beber, muitas vezes a falta de álcool se manifesta com sintomas físicos e psíquicos, vale lembrar que o alcoolismo não tem relação com o tipo e quantidade de bebida ingerida pela pessoa, mas sim à capacidade em controlar o consumo da bebida.

Mas é possível sair deste vício, José Getúlio Soares Camilo, durante dez anos viveu um transtorno acompanhado da solidão e da bebida, com as brigas frequentes causada pelo álcool José foi se afastando de sua família.

Vivendo no mundo da bebida, o destino apresentou Adelaide Ferreira Camilo para Getúlio, ela havia procurado para alugar uma de suas casas, eles resolveram se conhecer melhor e após muitos encontros, perceberam que estavam destinados a ficarem juntos. Adelaide não sabia da situação dele, Getúlio não conseguiu esconder por muito tempo. “Ia com ela pra lá e pra cá bêbado” relembra, e um dia ela decidiu que não dava mais. Getúlio então passou algumas noites fora de casa até que ela fez uma proposta, se ele parasse de beber e frequentasse grupos como Alcoólicos Anônimos, poderia voltar pra casa, “naquela hora a bebida minha sumiu tudo”, conta.

José Getúlio então passou a frequentar a igreja e o grupo Alcoólicos Anônimos, com o apoio de todos ele conseguiu vencer essa batalha, hoje faz 30 anos que Getúlio não coloca nenhum tipo de álcool na boa, “hoje eu falo, sou outra pessoa na vida” conta.

O Ministério da Saúde oferece atendimento gratuito a pessoas que sofrem com a dependência alcoólica, os principais atendimentos são realizados nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Procuramos a Secretaria Municipal de Saúde por meio da Secretaria de Comunicação, para saber como está sendo realizado os atendimentos durante a pandemia, mas até o fechamento desta reportagem não obtivemos resposta.

Compartilhar nas redes sociais